Exemplos de Editoriais


Exemplos de Editoriais:

Uma nova e melhor imagem!

Mais aberta, mais bonita, mais eficaz!

2010-09-18
Por Jorge Massada
Pela terceira vez Ciência Hoje muda de grafismo ao longo de sete anos de existência. Fá-lo na mesma altura em que anuncia o terceiro concurso para as escolas do ensino secundário em parceria com a Ciência Viva. São duas boas novas para este fim de Verão de 2010.
Saber renovar é preciso: uma boa imagem pode valer tanto ou mais do que mil palavras sábias. Os muitos milhares de leitores que temos diariamente vão aperceber-se que têm à sua frente um jornal arejado que dá gosto ler e percorrer.
Apostar na imagem sempre foi uma «obsessão» de Ciência Hoje. O actual design gráfico permite destacar as notícias, reportagens, artigos ou entrevistas que consideramos merecer esse destaque. O restante noticiário continua a ter honras de primeira página mas resume-se aos títulos. Estes remetem para artigos mais bem arrumados e fáceis de ler pela passagem de três para duas colunas.


Com estas alterações procuramos que quem nos lê sinta interesse redobrado em fazê-lo. Nós sabemos que fazer um jornal temático, de ciência, não é fácil. Ainda  que tenhamos um público crescente - os quase 20 mil subscritores comprovam-no - trabalhamos numa área que para muitos é desconhecida ou quase.


Embora a Internet seja o futuro - num mundo onde o papel continuará a ter relevância - ela é ainda uma realidade estranha para muitos portugueses. Não o é, felizmente para os mais jovens.


Daí o nosso orgulho em aparecermos de cara nova na altura em que lançamos «Se eu fosse... cientista», um concurso que estamos certos irá ser um êxito entre os alunos do secundário de Portugal.




Inclusão Social: Implicações e Consequências
                                                                       por Paula Pereira


É difícil pensar que ainda hoje, século XXI, existem pessoas que são excluídas da sociedade. Isso fere ao que o Estatuto Brasileiro prega na lei 7.853, sancionada pelo então presidente do Brasil em 1989, José Sarney.  


Os diversos portadores de deficiência, tais como, cadeirantes, deficientes auditivos, visuais, entre outros, ainda vivenciam esse problema no nosso país. Por possuirem necessidades especiais são vistos como incapazes, ou meros inválidos.


A tão discutida valorização moral foi esquecida, atualmente para ser reconhecido na sociedade, é preciso uma boa aparência, uma boa dicção e uma posição social de destaque.


 Pode-se analisar também, os difíceis acessos dos deficientes aos coletivos e às novas tecnologias, uma vez que, estes aparatos devem ser produzidos de acordo com cada caso, e, por isso, se tornam muito caros.


É preciso estabelecer no Brasil, a igualdade de direitos, é preciso mudar! somos feitos à imagem e semelhança de Deus, e pra Ele não há acepção de pessoas!


0 comentários: